Série de assassinatos múltiplos gera terror na Região Metropolitana

As estatísticas do mês de agosto interromperam a tendência de queda nos assassinatos no Ceará. O cenário que se descortina pela frente não é auspicioso. Os primeiros quinze dias de setembro já são superiores em homicídios aos quinze primeiros dias de agosto, indicando que a onda de violência é ascendente. Os assassinatos múltiplos se sucedem, em especial na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Crimes violentos letais intencionais aumentam 8% em agosto no Ceará

A trajetória de queda observada nos números da violência letal deste ano, no Ceará, foi interrompida. O Estado registrou 281 crimes violentos letais intencionais (CVLI) no mês passado, ou seja, um aumento de 8% na comparação com agosto de 2020, quando foram contabilizados 260 assassinatos. Em 2019, esse número foi ainda menor: 186. O CVLI representa a soma dos seguintes crimes: homicídio doloso/feminicídio, lesão corporal seguida de morte e roubo seguido de morte (latrocínio). Neste ano, o Ceará soma 2.143 homicídios.

Formação precisa ser a palavra-chave do novo concurso da PM

Embora a formação não seja garantia de boa conduta, certamente ela constitui parte importante dos fundamentos pelos quais os profissionais se guiarão ao longo da carreira. Os riscos de insubordinação são menores quando o militar compreende de forma plena seu papel institucional. Essa compreensão é ainda mais relevante diante do atual cenário em que ameaças à democracia vêm de todos os lados. A preservação da ordem pública, missão da Polícia Militar, é a preservação de uma ordem eminentemente constitucional, sem margem para golpismos.

Apesar da exigência legal, Ceará não registra dados sobre a violência contra a população LGBTQIA+

O Brasil é considerado o país que mais agride e mata homossexuais e pessoas trans no mundo. Dados do Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública reafirmam essa condição, mostrando crescimento superior a 20% no número de notificações de estupros (88) contra pessoas LGBTQIA+ em 2020. O Anuário também chama atenção para o contexto de subnotificação de casos de violência contra essa população no Brasil: dados focados nessa comunidade inexistem em sete estados da federação – Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Ceará, Rondônia e Rio Grande do Sul – segundo o levantamento, que mapeia o crime no país.

Renato Roseno apresenta emendas ao projeto de lei que formaliza o Proteger

No intuito de aprimorar a proposta, o deputado estadual Renato Roseno (PSOL) está propondo um conjunto de emendas ao texto original do projeto de lei. Três emendas buscam inserir formalmente os demais órgãos governamentais ao programa, bem como o PreVio e as Unisegs, fazendo com que ele se torne mais interssetorial.

Os riscos de uma política Frankenstein na segurança pública: o caso Proteger

As cobranças sobre o papel de cada programa governamental demonstram uma certa indefinição na condução da política de segurança no Estado. É preciso que os parlamentares debatam esse projeto de lei com atenção na AL. O conceito de um “Ceará Pacífico” não pode suprimir as especificidades e a autonomia dos programas já existentes. Sem integração e articulação, as peças não se encaixam e o que poderia ser um exemplo de governança eficiente pode se transformar em uma política pública do tipo Frankenstein: remendada, confusa e que em algum momento se voltará contra seu criador.

Projeto que legaliza o Proteger é enviado à Assembleia Legislativa do Ceará

Deu entrada hoje, dia 23, na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (ALCE), o Projeto de Lei que prevê a formalização do Programa Estadual de Proteção Territorial e Gestão de Riscos (Proteger). O objetivo é transformar o programa criado em 2018 pelo então secretário da Segurança Pública, André Costa, em uma “política pública estruturante e estratégica destinada à efetivação do direito constitucional à segurança pública no Estado do Ceará”. Conforme levantamento recente publicado no site da SSPDS, Fortaleza e Região Metropolitana da Capital contam com 31 bases territoriais do Proteger.

Blog lança boletim de análises sobre dados da segurança pública no Ceará

Compreender as dinâmicas da violência e da criminalidade de um Estado por meio dos dados oficiais nem sempre é uma tarefa fácil. Pensando nisso e na possibilidade de ampliar o debate sobre a segurança pública para um maior número de pessoas, o Blog Escrivaninha lança o primeiro número de seu Boletim “Cenários da (In)Segurança Pública” com uma análise aprofundada e, ao mesmo tempo, didática, sobre as ocorrências criminais no Estado do Ceará. Para tanto, contamos com o apoio de Marília Monteiro do Santos, bacharela em ciências econômicas, graduanda em ciências sociais e mestranda em Sociologia além de uma estudiosa de questões como segurança pública, gênero e juventude. Confira o texto de introdução do Boletim. A publicação pode ser acessada e baixada gratuitamente no fim desta página.

Com foco na RMF, Áreas Integradas de Segurança (AIS) são ampliadas para 25

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) alterou o desenho territorial das Áreas Integradas de Segurança (AIS) pela segunda vez. As mudanças se concentraram na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). As cidades que pertenciam às AIS 11, 12 e 13 foram desmembradas e realocadas em outras áreas a partir da criação de três novas áreas (AIS 23, 24 e 25). Os municípios de Caucaia e Maracanaú passam a ser abrangidos, cada um, por uma única Área Integrada de Segurança, a AIS 11 e a AIS 12, respectivamente.

Número de policiais militares mortos pela Covid-19 no Ceará chega a 50

Os dados mais recentes sobre a letalidade da covid-19 entre profissionais da segurança revelam que o número de policiais militares da ativa mortos pela doença chegou a 50 na última sexta-feira, dia 21. O levantamento é feito pela Associação das Praças do Estado do Ceará (Aspra-CE). Em relação aos policiais civis mortos pela Covid-19, o número saltou de 10 para 13 desde o último levantamento, realizado no dia 6 de maio. As informações são do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol).