Frei franciscano sofre ataques e ameaças de morte por apoio à população LGBTQIA+

Além da atuação em defesa da população LGBTQIA+, críticas ao Governo Federal têm rendido ataques e ameaças de morte ao frei franciscano Lorrane Clementino. Religioso busca amparo na justiça contra hostilidades sofridas nas redes sociais.

Por Dayanne Borges e Ricardo Moura

As hostilidades a religiosos que defendem uma igreja com valores mais progressistas não se restringem apenas às intimidações ocorridas aos padres da Paróquia da Paz e que resultaram no ingresso dos sacerdotes ao Programa de Prevenção a Defensores dos Direitos Humanos (PPDDH). O frei Lorrane Clementino, da Ordem dos Frades Menores (OFM), vem sendo alvo, nos últimos dias, de ataques pessoais e ameaças de morte por sua luta a favor da população LGBTQIA+ e pelas críticas feitas ao Governo Federal e às práticas conservadoras no interior da Igreja Católica.

O frade participou recentemente da ocupação realizada ao Centro de Referência LGBT Janaína Dutra, cuja missão é planejar, articular e executar ações na área de promoção, defesa e difusão dos direitos da população LGBT. O protesto cobrava maior atenção da Prefeitura de Fortaleza à manutenção e efetividade do equipamento. Imagens de apoio aos manifestantes foram publicadas nas redes sociais do religioso, bem como cobranças ao prefeito José Sarto Nogueira (PDT).

Quando perguntado sobre sua atuação voltada para a população LGBTQIA+, o frei explica: “Como frades, só queremos repetir o gesto de São Francisco, já que somos seus seguidores. Nenhuma lei deve estar acima do amor. De forma específica, em Fortaleza, a nossa atuação se dá justamente como presença. Não é o frei Lorrane que está lá junto a esses irmãos e irmãs, são os Franciscanos, é a Igreja”.

O religioso também afirma prestar apoio a grupos que desejam vivenciar a espiritualidade cristã, mas são marginalizados em suas comunidades por sua orientação sexual. “Tenho acompanhado ações em defesa das garantias de direito da comunidade LGBT e junto à outras lideranças religiosas no combate a LGBTfobia”, ressalta.

Críticas políticas alimentam ódios nas redes

Em seus perfis nas mídias sociais, frei Lorrane posiciona-se sempre contra práticas conservadas na Igreja Católica, bem como aos retrocessos promovidos pelo Governo Federal nas mais diversas áreas. O religioso esteve presente ao protesto contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ocorrido no último dia 3, em Fortaleza. O frade portava um cartaz onde se lia: “Se Bolsonaro estiver certo, Jesus está errado”. A imagem gerou ampla repercussão, sendo replicada em diversos meios de comunicação.

O religioso na manifestação do 3J

Toda essa movimentação, tanto nas redes sociais quanto presencialmente, tem despertado uma série de ataques, principalmente por meio das redes sociais. O frade contou que está acompanhando as hostilidades e também tem compartilhado as ofensas sob a forma de denúncia. Os insultos, contudo, nunca são respondidos.

As ofensas tiveram início a partir de 2019, após participar do Grito dos Excluídos em Campina Grande (PB), em que recebeu algumas críticas, mas de forma moderada. “Meu perfil passou a ter mais seguidores e com isso mais engajamento. Por isso, deve ter chegado a muitos haters que em outras publicações começaram a me atacar de forma mais direta. Então, sempre que posto alguma atividade que realizo, sem tabu, me chegam mais e mais mensagens. Com os atos #ForaBolsonaro, tendo participado e compartilhado, as agressões e insultos estão sendo bem mais intensos.”, avalia.

Em relação aos ataques, o Frei Lorrane contou que tem recebido mensagens de solidariedade de amigos e de pessoas que nunca viu, e isso o tem fortalecido. Consciente dos riscos de sua missão, o religioso tem agido com cuidado e com atenção redobrada. Um boletim de ocorrência foi registrado, bem como um processo junto ao Ministério Público. O frade viu a necessidade de tomar essa iniciativa por sentir sua integridade ameaçada.

Ofensas, hostilidades e ameaças veladas de morte

Prints obtidos pelo Blog Escrivaninha revelam o grau de hostilidade ao qual o frade está exposto. Em uma mensagem enviada por meio de um DM no Instagram, um perfil cujo nome é “Leonardo Junqueira F Mourão” escreve:

“Eu gostaria muito de ir conversar com o senhor, sabe? A primeira coisa que eu quero lhe dizer pessoalmente, cara a cara, olho no olho, é que vc é um apóstata. Vou te provar que vc é excomungado com a bula papal nas mãos. Nas palavras de João Paulo II, você é uma vergonha do gênero humano, parafraseando a condenação do Papa ao comunismo. Ao final, vou dar-lhe um conselho apostólico: saia desse barco furado em que vc se meteu e entre na barca de São Pedro, pois que o seu destino se não sair desse atoleiro é o INFERNO. É bom pensar nisso pois, como diz o Salmista, a vida é um sopro. Deus que está pronto a perdoar, nem Sempre terá tempo de se arrepender… pense nisso frei”.

Print de mensagens com ameaças enviada pelo Instagram

Em outra mensagem, dessa vez no Twitter, um perfil faz uma associação entre a defesa da população LGBT feita pelo frei e a pedofilia na Igreja Católica, uma forma de ataque bastante utilizada por grupos conservadores:

Tuíte que se vale da tática de vincular a homossexualidade à pedofilia

Uma comentário no Facebook traz uma ameaça velada ao religioso sob a forma de advertência:

Um perfil no Instagram, com o nome “Beato Padre Victor” – dedicado a divulgar notícias e artigos defendendo o tradicionalismo na Igreja Católica – publicou uma postagem, no último dia 14, na qual desfere vários ataques ao frei, acusando-o de “militante travestido de frei”, “comunista” e defensor de “ideologias anticatólicas”. Até mesmo o nome do religioso é motivo para escárnio, haja vista que “Lorrane” pode ser um nome dado tanto a pessoas do sexo masculino quanto feminino. Segue o texto de descrição do post:

“Religioso” da Ordem dos Frades Menores

De nome sugestivo, e atitudes vergonhosas, este militante apostático poderia ser tudo e age como tudo: como ateu, agnóstico, militante homossexual etc, apenas não como Católico! Uma vergonhosa demonstração da podridão moral e espiritual do Clero brasileiro, talvez, um dos mais imundos de nossos tempos, como porcos no chiqueiro.

(…)

Uma rápida olhada nos perfis que o mesmo segue, já mostra onde está seu amor: no mundo. Onde vive publicamente como um revolucionário LGBT e Marxista! Ele precisa as pressas de se converter e ser corrigido, e se persistir nos erros, excomungado. Tal Frei é da linha dos que endossam o genocídio da ditadura cubana e venezuelana (…). Apesar de que sabemos que hoje, os piores, é mais fácil que se tornem Bispos. Lorrane, não tem condições mínimas para ser Religioso na Igreja de Cristo! Tem tudo para conhecer a Fé, estudou com nosso dinheiro na Igreja, portanto, não é ignorância, mas maldade. Esperamos que ele se converta, pois esta não é a atitude de um verdadeiro filho da Igreja, se persistir, seu passaporte é o inferno.

Converta-se!

Postagem em que diversas ofensas são dirigidas ao religioso

Trajetória e seguimento a Francisco

Frei Lorrane ingressou na Ordem dos Frades Menores em 2014. O processo formativo aconteceu nos municípios de Triunfo (PE) e em Lagoa Seca (PB). Três anos depois, o frade professou seus votos religiosos. No ano seguinte, mudou-se para a capital cearense, onde cursa o bacharelado em Teologia, no Seminário da Prainha.

De acordo com a própria congregação, a Ordem Franciscana foi criada como uma ordem de Irmãos, que assumiam a missão de viver e pregar o Evangelho. Não se tratava inicialmente de uma Ordem Clerical. O próprio Francisco não quis ser sacerdote e os primeiros frades também não tinham esse objetivo. Por uma série de necessidades da própria igreja, contudo, a maioria dos frades passou a se ordenar. A Ordem é dividida em três ramos: Ordem dos Frades Menores (OFM), Capuchinhos (OFMCap) e Conventuais (OFMConv).

(com informações do site franciscanos.org).

Para saber mais:

Hostilidades refletem polarização política

Padre Lino pede inclusão em Programa de Proteção de Defensores dos Direitos Humanos

“Botamos os comunistas pra correr”, grupo comemora boicote a padres

4 comentários em “Frei franciscano sofre ataques e ameaças de morte por apoio à população LGBTQIA+

  1. Deus se fez pobre entre os pobres. Sinalizou a plenitude da vida por palavras e ações. Amou o mundo de tal maneira que a entrega dele ressoa nos corações dos homens e mulheres até os dias de hoje que a exemplo Dele também vive perseguições. Que erro há em amar? Que maldade existe em conviver, reconhecer e perceber as diferenças na sociedade e no mundo? Seria Deus apático e segregador?
    Não nos tornemos semelhantes aqueles e aquelas que propagam o ódio, a violência, a divisão,pois a graça que é o próprio Deus sempre nos conduzirá.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: