Como o “nós e eles” divide o Brasil em um cenário de pandemia

Na obra “Como as democracias morrem”, algumas características nos ajudam a reconhecer líderes autoritários. Dentre elas ressaltamos o ataque a rivais partidários, encorajamento à violência contra aqueles que não compartilham de suas ideais, e, por fim, propensão a restringir liberdades, nesse caso a de expressão por parte da mídia. É possível notar não só o viés autoritário do governo federal como também sua propensão a dicotomizar e rivalizar, dividindo o cenário político e social entre “nós” e “eles”.